Risoleta Antunes Marcondes que nasceu em Lorena, aos 16 de maio de 1907, é filha de José Rodrigues Marcondes e Maria Augusta Rodrigues Alves Marcondes, foi falecidos.

Sem possibilidade de ser cuidada por sua por sua mãe que, na ocasião, não gozava boa saúde, foi levada, logo nos primeiros dias, para a casa de sua avó materna Maria Eulália Marcondes e Artelino Barreto.

Quando tinha oito anos voltou à casa dos pais, então residentes em Guaratinguetá.

Fez o curso primário em Lorena, concluindo-o em Guaratinguetá, e seguindo até o curso complementar na Escola Normal da Cidade.

Casou-se em 08 de abril de 1926, dedicando-se com zelo aos afazeres domésticos, tendo feito estudos de piano e costura.

Graças aos conhecimentos musicais pôde ensinar e acompanhar os filhos nesse aprimoramento de arte.

Companheira afetuosa e dona de um lar tranqüilo, trouxe ao mundo três filhos: Wagner José Marcondes Antunes, em 07 de setembro de 1931, Diógenes Anthony

Marcondes Antunes, em 15 de dezembro de 1941 e Eta Maria Marcondes Antunes, hoje Antunes de Carvalho, em 19 de outubro de 1947, casados respectivamente com Iragy Del Mônaco Antunes com quatro filhos e quatro netos, Maria Lúcia Faria Antunes com três filhas e um neto e Benedito Ernesto Galvão Carvalho, com três filhos.

Participou na fundação da Maternidade de Guaratinguetá em 1937 e Casa da Criança de Guaratinguetá em 1940, colaborando com Domingos Del Mônaco e Angelina Ranna Del Mônaco.

No funcionamento dessas casas assistenciais, além da orientação e gerência geral, dedicava-se aos misteres de enfermeira e auxiliar de médico em operações, no que eram atendidas mulheres de todas as raças, credos e atividades, sem qualquer discriminação.
Tais entidades mantinham quartos particulares pagos uns pelas parturientes com recursos e outros mais em enfermaria para carentes. Funcionaram até 1972 quando, por absoluta falta de recursos, encerraram atividade.

Em 1980 foi criada a Casa da Criança Creche Chico Xavier, do que participou como fundadora com Angelina Ranna Del Mônaco, sendo hoje a sua Diretora Presidente.

Em 1941, quando nasceu seu filho Diógenes, recebeu a árdua tarefa da mediunidade, na modalidade de incorporação, além de auditiva, psicografia e efeitos físicos. Nesse trabalho, colaborou com seus irmãos e semelhantes, dando-lhes assistência espiritual pelas mensagens recebidas do Além.

Mantinha a parte auditiva de receituário, em assistência física aos doentes por orientação que recebia dos espíritos de médicos como Dr. Benedito Meirelles Freire, Cássio de Rezende, César Sigaud e mais Diógenes de Medeiros, este quando vivo praticando igual mister.
Centro irradiador, seja permitido dizer, desculpado o vitupério, foi rainha do lar onde pontificou, na orientação sadia aos seus filhos, aconchego de calor e afeto aos netos e bisnetos, abrindo as portas de sua casa a todos os seus amigos e irmãos em Jesus.

Biografia fornecida por Diógenes Antunes.


A ideia para o “Encontro de Talentos e Arte Dona Eta” surgiu após o falecimento da senhora, que dizia com frequência que gostaria de ser sepultada usando cor de rosa e ter uma banda de música acompanhando. A partir daí, a cidade de Guaratinguetá realiza em maio todos os anos o “Encontro de Talentos e Arte”, considerado pelos munícipes o maior evento artístico-cultural da cidade e conta com uma programação cultural bem diversificada.

Vídeos

Notícias